terça-feira, 26 de março de 2013

partiuviagem - Cracóvia/Polônia - (Carnaval parte II)



Agora longe da folia do carnaval... Partimos para nossa primeira viagem turística desde que chegamos a Alemanha - Cracóvia na Polônia. Muitos me perguntaram o motivo da escolha desse destino...rsrsrs Tínhamos interesse em conhecer um pouco mais sobre o Holocausto, estar nas cidades e campos de concentração onde ocorrera a segunda guerra.


"Cracóvia é uma cidade da Polônia, localizada no sul do país, nas margens do rio Vístula. Tem cerca de 900 mil habitantes. Foi fundada por volta do ano 700, sendo capital da Polônia entre 1320 e 1596.
 


 
Com mais de mil anos de história, Cracóvia se manteve disposta, sem deteriorização dos seus monumentos, mantendo o charme original do Velho Mundo, a exemplo do Collegium Maius, da Praça do Mercado, do Castelo Wawel e da Basílica Mariana (entre outras 140 igrejas). Eles nem imaginam que nós em Salvador - BA (com seus 464 anos) temos aproximadamente 365 igrejas, praticamente uma para cada dia do ano...


 
Igreja dos 12 Apóstolos



Chegamos a Cracóvia com muita neve e nem assim, tirou a beleza de seus parques e praças. Curtimos muito a simpatia e receptividade dos poloneses.







Castelo Real de Wawel onde vários Reis Polacos foram coroados.


 Varsóvia, atual capital da Polônia sofreu duramente a ira dos nazistas no período da Segunda Guerra. Soviéticos e alemães também não apreciavam o ar estudantil que Cracóvia possuía, com a quinta universidade mais antiga do mundo, acabou sofrendo algumas retaliações como: soldados de Hitler invadiram a faculdade, arrastaram 180 professores e cientistas ao pátio e os executaram na frente de todos. Contudo Cracóvia não desanimou e hoje conta com 15 escolas superiores, e o ensino é gratuito até o fim da faculdade. Dos 900 mil habitantes, cerca de 200 mil são colegiais ou universitários, vários vindos de outras partes do mundo só para ter o gostinho de estudar nos mesmos bancos onde Nicolau Copérnico (1473-1543) sentou um dia.





















Praça central


Conhecemos a escola onde estudou para o Sacerdócio João Paulo II, seminário clandestino de Cracóvia. Após a Segunda Guerra Mundial, ele continuou seus estudos no seminário até sua ordenação sacerdotal em 1946.


Fachada do Seminário clandestino em Cracóvia

 









Após um longo passeio pela cidade durante o dia, à noite saímos para jantar e curtir um pouco a night (fria) de Cracóvia...rsrrs Procuramos um restaurante típico polonês e embora a apresentação dos pratos tenham sido um tanto familiar, a comida estava uma delícia. Seguimos para o Hard Rock e lá curtimos o final da noite com alguns drinks e boa música.



Bebida típica a base de vinho e canela servido quente.
















 





Enfim, chegamos ao ponto mais aguardado da nossa viagem - Auschwitz - denominado grupo de campos de concentração localizados no sul da Polônia, símbolos do Holocausto perpetrado pelo nazismo. A partir de 1940 o governo alemão comandado por Adolf Hitler construiu vários campos de concentração e um campo de extermínio nesta área, então na Polônia ocupada.

 À entrada de Auschwitz I lia-se (e ainda hoje se lê) as palavras: "Arbeit macht frei" (o trabalho liberta). Os prisioneiros do campo saíam para trabalhar durante o dia nas construções do campo, com música de marcha tocada por uma orquestra.

 

 



Tempos de Guerra (1940 a 1945)... Marcaram profundamente a vida de alguns povos, em sua grande maioria Judeus. Estar no local onde ocorreram tantas atrocidades, difícil não sair comovido e reflexivo...

 



 



 
Calçados dos Judeus que passaram pelo campo de concentração.
Roupas usadas pelos Judeus.

Muro de execução...




Câmara de Gás.


 
Crematório.

Alojamento.












Alguns dos integrantes da Lista de Schindler...
Entrada da Fábrica de Schindler. 

 






















Um comentário:

Cecilia Almeida disse...

Amiga,

Não tenho mais dúvida de que a sua visão de mundo vai mudar após essa viagem!@!

bj,

Ceci